quinta-feira, 8 de novembro de 2007

"...e o fim, é belo e incerto, depende de como você..."

Ontem no fim da tarde, após descrever 'minuciosamente' as qualidades/defeitos de um amigo, liguei pra ele. Conversa vai, conversa vem, não é que temos as mesmas vontades loucas de sumir por um tempos (longo tempo mesmo), de conhecer lugares desconhecidos por muitos, de sentir frio na barriga por experiências novas chegando, de ser um pouquinho egoista, se fechar no nosso mundinho e pensar SOMENTE na gente mesmo, essas vontades se dão quando nada acontece, sabe? Você espera anciosa por coisas milagrosas, ou visitas inesperadas, sente um vazio imenso e não quer conversar por nada e com ninguém, quando tudo que te acontece não passa de mesmices diarias...
Bummm! Queria um estouro ou uma super explosão de novidades, de carinhos sinceros, ou uma descoberta que me deixasse de boca aberta durante muito tempo, que eu pudesse olhar no espelho e ver que emagreci aqueles tão esperados 10 quilinhos, ou que então não se importassem com a minha beleza externa. Pois é, essa vontade louca anda me atormentando ultimamente muito os meus dias, me pego pensando sempre nessa hipótese de sumir, viajar, conhecer tudo novo, passar perengues, andar e ser medida da cabeça as pés e ganhar o dia com um simples elogio, paquerar na fila do banco alguém que com certeza não verá mais durante toda a sua vida, mas depois contar as suas amigas e tirar boas gargalhadas disso. Pois bem, agora preciso levantar a bunda da cadeira e ver se posso fazer algo para que isso aconteça em breve, to indo, e quando voltar escutar:
-Nossa como você mudou.
Hein, pega aqui na minha mão, VAMOS?!