sexta-feira, 9 de novembro de 2007

"...quem sabe eu ainda sou uma garotinha"

Muitas vezes na hora do nervosismo, dizemos coisas ou fazemos algo que dói nas pessoas, e dessa vez peguei pesado. Esse descontrole de palavras me perseguem ultimamente, sabe a maquininha cerebro, por onde deve passar todas as informações para que seja reformulada de alguma forma que não machuque ninguém, pois bem, as minhas insistem em ir direto pra boca. A gente se sente tão superior a qualquer pessoa, grita, berra, se descabela, e quando me acalmo sento aqui e choro pois vejo que não passo de uma garota mimada e totalmente fraca, sem argumentos por ter dito tal coisa horrenda.
Pedir desculpas é vergonhoso pra você mesmo né, é assumir que errou, é ver que não é perfeita, é ver que mais uma vez foi contra a verdade e a pessoa/coisa certas, se bem que depois do pedido aquele angustia que tomava conta de você parecer sumir como uma ducha gelada no dia quente. Mas como sou fraca, jogo aqui num blog as moscas o meu pedido mesmo sabendo que jamais irá ler isso, me sinto só um pouco aliava, me sentiria completa se olhasse pra você, com essa cara inchada e em prantos desculpas e dizer que não queria mesmo estragar a 'sua semana'....
te amo mais do que todas as coisas do mundo, e esse jeito estúpida e grossa faz com que agora eu esteja morrendo de raiva e 'vergonha' de mim..
.
"...rezando baixo pelos cantos, por ser uma menina má."