segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Forte assim

"Hei, você sabe qual é a primeira aula?!"

Sentada no sofá, enrolada ao meio trapo de edredom, cara a cara com a garota branquicela de nariz vermelho que fez brotar uma espinha bem no centro. Fez-se acreditar que nem sempre o sorriso bonito, as cervejas geladas do final de semana eram as únicas coisas que ela podia contar. Sentada até as 5 da manhã intercalando entre as mãos o cigarro a brahma, a outra que agora nao estava mais sentada e sim jogada no sofa escutando estorias mirabolantes que até agora eram desconhecidas, fazendo assim ficar cada hora mais inquieta e se remexia no sofa. O brilho no olhar não se fazia entender, se eram de coisas boas que se passaram ou coisas tristes que ainda tras magoa e choro esgasgado na garganta.

-Não não, ele é tão forte aos olhos da outra.

Entre a fumaça do cigarro e as nuvenzinhas criadas pelo pensamento da garota jogava no sofa. A outra, com o cigarro na não, engasgava-se com as palavras e com as lembranças que voltavam acelerando cada vez mais a sua ida e volta ate a geladeira mais proxima em busca da cervejinha, em intervalos de tempo, ia tambem ao banheiro. Sim, mas aos olhos da outra, que ainda estirada no sofá, sabia o quanto ela era forte. O tempo sabe o que faz, ela cresceu. Deixou o seu molho de tomate penerado pela mãe, os carroços de feijão que lhe vinham ao prato, os passeios ao parque com o seu avô. Sim sim, a vida sabe o que faz, o mundo gira, as pessoas mudam, e crescem. Ela cresceu porque a vida quis assim, não chora na frente de qualquer um, é super forte, isso até ela estourar sua espinha e ver a cara dela de dor.
Ah, e a outra que ainda mergulhada em seus pensamentos, jogada no sofa e enrolada no edredom, prometeu ligar mais vezes pra garota do nariz vermelho agora sem a espinha e sem a cara de dor, só para se preocupar e mostra-lhe o quanto ela é importante e como é vista como exemplo pela garota jogada no sofá agora pensativa de como a vida sabe o que faz.