quarta-feira, 23 de julho de 2008

O ego e o desejo

Uma mãe levou seu filhinho ao psiquiatra e por mais de três horas ela lhe contou toda a história de seu filho. O psiquiatra estava ficando cansado, cheio, mas a mulher estava tão absorvida na sua fala que nem mesmo lhe deu oportunidade de impedi-la. Uma frase seguia a outra sem qualquer intervalo.
Finalmente o psiquiatra teve que dizer, "Por favor, pare agora! Deixe-me perguntar algo ao seu filho!"
E ele perguntou ao filho, ‘Sua mãe está reclamando que você não ouve o que ela lhe diz. Você tem alguma dificuldade de audição?’O filho disse, ‘Não. Eu não tenho dificuldade de audição – os meus ouvidos estão perfeitamente bem – mas no que se refere a escutar, você pode julgar por si mesmo. Você consegue escutar a minha mãe? Ouvir eu posso: eu tenho que ouvir. Eu estava observando-o – você estava incomodado. Não há como não ouvir, mas escutar – pelo menos eu sou livre para escutar ou não. Se eu escuto ou não, é uma questão minha. Se ela grita comigo, ouvir é natural, mas escutar é uma questão totalmente diferente.’ Você ouviu, mas você não escutou, e todo tipo de distorção se juntou ao redor. As pessoas seguem repetindo aquelas palavras sem qualquer idéia do que elas estão repetindo.

[Osho]

quarta-feira, 16 de julho de 2008

=/

Oi mamãe, tudo bom? Eu estou bem, graças a Deus faz apenas alguns dias que você me concebeu em sua barriguinha. Na verdade, não posso explicar como estou feliz em saber que você será minha mamãe, outra coisa que me enche de orgulho é ver o amor com que fui concebido. Tudo parece indicar que eu serei a criança mais feliz do mundo !!!!!! Mamãe, já passou um mês desde que fui concebido, e já começo a ver como o meu corpinho começa a se formar, quer dizer, não estou tão lindo como você, mas me dê uma oportunidade !!!!!! Estou muito feliz!!!!!! Mas tem algo que me deixa preocupado... Ultimamente me dei conta de que há algo na sua cabeça que não me deixa dormir, mas tudo bem, isso vai passar, não se desespere. Mamãe, já passaram dois meses e meio, estou muito feliz com minhas novas mãos e tenho vontade de usá-las para brincar... Mamãezinha me diga o que foi? Por que você chora tanto todas as noites?? Porque quando você e o papai se encontram, gritam tanto um com o outro? Vocês não me querem mais ou o que? Vou fazer o possível para que me queiram... Já passaram 3 meses, mamãe, te noto muito deprimida, não entendo o que está acontecendo, estou muito confuso. Hoje de manhã fomos ao médico e ele marcou uma visita amanhã. Não entendo, eu me sinto muito bem.... por acaso você se sente mal mamãe? Mamãe, já é dia, onde vamos? O que está acontecendo mamãe?? Porque choras?? Não chore, não vai acontecer nada... Mamãe, não se deite, ainda são 2 horas da tarde, não tenho sono, quero continuar brincando com minhas mãozinhas. Ei !!!!!! O que esse tubinho está fazendo na minha casinha?? É um brinquedo novo?? Olha !!!!!! Ei, porque estão sugando minha casa?? Mamãe !!!! Espere, essa é a minha mãozinha!!!! Moço, porque a arrancou?? Não vê que me machuca?? Mamãe, me defenda !!!!!! Mamãe, me ajude !!!!!!!! Não vê que ainda sou muito pequeno para me defender sozinho?? Mãe, a minha perninha, estão arrancando. Diga para eles pararem,juro a você que vou me comportar bem e que não vou mais te chutar. Como é possível que um ser humano possa fazer isso comigo? Ele vai ver só quando eu for grande e forte..... ai..... mamãe, já não consigo mais... ai... mamãe, mamãe, me ajude... Mamãe, já se passaram 17 anos desde aquele dia, e eu daqui de cima observo como ainda te machuca ter tomado aquela decisão. Por favor, não chore,lembre-se que te amo muito e que estarei aqui te esperando com muitos abraços e beijos. Te amo muito Seu bebê.

[desconheço o autor]

terça-feira, 15 de julho de 2008

Your Love is a Lie

I fall asleep by the telephone
It's two o'clock and I'm waiting up alone
Tell me, where have you been?
I found a note with another name
You blow a kiss but it just don't feel the same
'Cuz I can feel that you're gone
I can't bite my tongue forever, while you try to play it cool
You can hide behind your stories
but don't take me for a fool!
You can tell me that there's nobody else – (but I feel it!)
You can tell me that you're home by yourself – (but I see it!)
You can look into my eyes and pretend all you want but I know, I know
Your love is just a lie! Lie! Lie!
It's nothing but a lie! Lie! Lie!
You look so innocent, but the guilt in your voice gives you away
Yeah, you know what I mean
How does it feel when you kiss when you know that I trust you
And do you think about me when he fucks you?
Could you be more obscene?
So don't try to say you're sorry, or try to make it right
And don't waste your breath because it's too late, it's too late
You can tell me that there's nobody else – (but I feel it!)
You can tell me that you're home by yourself – (but I see it!)
You can look into my eyes and pretend all you want, but I know, I know
Your love is just a lie! Lie! Lie! Lie!
It's nothing but a lie! Lie! Lie! Lie!
You're nothing but a lie!
You can tell me that there's nobody else - but I feel it!
You can tell me that you're home by yourself - but I see it!
You can look into my eyes and pretend all you want, but I know, I know
Your love is just a lie! Lie! Lie! Lie!
It's nothing but a lie! Lie! Lie! Lie!
You're nothing but a lie!

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Aluga-se um coração

Como diz um amigo, a nossa raça está entrando em extinção, o certo é esperar pelo o que está predestinado a nós.

OU NÃO!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Defeito Grave

No começo de um relacionamento, não se deve perder tempo excessivo para definir a situação. Em alguns casos a lentidão demasiada gera amizades inesperadas, mulheres interessantes acabam ficando como amigas. A amizade prejudica e interrompe qualquer possibilidade de investidas românticas. O pior disso tudo, quando resolvem fazer confidências da vida afetiva, situação constrangedora e desagradável.

(por Hannibal)

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Sem Tempo

O inverno é propício para o amor, o verão estimula desejos. Amores de inverno são mais aconchegantes, mais ternos e românticos, assim como as roupas de inverno, as bebidas de inverno, as comidas. Ouso dizer que a necessidade de garantir fontes contínuas de calor torna os namoros do inverno mais duráveis. Desejos do verão são andorinhos, riscos rápidos no céu.
Será que isso ainda vale?
Leio intrigado, uma reportagem na qual se adianta, com a leviandade própria dos diários populares, que casais jovens urbanos da classe média já não fazem questão de namoros duráveis: algumas semanas está bom para eles. Não acontece só com os homens, diz o jornal: as moças também não têm tempo para o amor dedicado. Antes de chegarem a um ponto em que romper seria uma pisada feia na bola, eles se separam. Criaram uma ética da separação: não podem "enganar" a paquera, levando-a a pensar que aquilo vai continuar, que ela é a pessoa da sua vida. Chega a hora de "dar um tempo". Dão o que não têm: tempo.
Poderiam, se quisessem, prolongar a relação. Quando os níveis de urgência baixassem, poderiam exercitar a tolerância, acomodar-se aos pequenos defeitos de parte a parte, buscar prazeres socializados, se conhecer em profundidade, encaixar projetos. Mas há muitas coisas no caminho, como a carreira, os cursos, as baladas, os gostos, outras pessoas, a turma, a liberdade. Como colocar uma pessoa apenas na frente de tudo?
Uma pesquisadora e uma antropóloga americanas chegaram a balizar a duração das paixões amorosas modernas: por volta de dezoito meses. É o tempo que dura o desejo, diz a pesquisa. Lembro-me de um filme de Marilyn Monroe de 1955, O pecado mora ao lado, que girava em torno da "comichão dos setes anos", ou seja, a altura do casamento em que brota no homem o desejo de pular a cerca. Sete anos. O tema do filme deve ter-se baseado em alguma pesquisa da época. As pesquisadoras de agora reduzem o prazo da coceira para dezoito meses. Lá. Aqui, a julgas pelos jornais, a coceira não dá essa trégua. Trópicos...
O desejo é furtivo, misterioso, subjetivo e cambiante. Pode querer uma coisa hoje, outra amanhã. Ou uma coisa em uma pessoa hoje e a mesma coisa em outra pessoa amanhã. O desejo não tem compromisso com pessoas, mas com objetos. às vezes é incompreensível para quem o vê de fora, por isso se fala em "obscuro objeto do desejo", "quem ama o feio bonito lhe parece" etc. O desejo tem sua dinâmica secreta.
Já o amor joga aberto, divulga, anuncia, nomeia o que quer, e é sempre mais do que o desejo: quer compromisso, casa, filhos, projetos comuns. Significaria que o casal não se deseja mais? Não, o desejo espreita nas frestas do amor.
Há os inquietos, os instáveis. Amam uma pessoa e desejam outra, imaturos. E há os casais que se bastam, não querem filhos, não querem se subdividir, como aqueles que aparecem numa reportagem da VEJA. Estáveis, duráveis, blindados. É meio europeu, isso. Um modo civilizado de não ter tempo.
Esta digressão já vai longe, volto ao ponto de partida. Falava do inverno, do gostoso relacionamento do inverno, que se alonga além do tempo que dizem estar na moda. Ninguém quer ficar sozinho no frio, tomar tapa de vento gelado nas esquinas. A estação sugere ficar em casa, dividir um cobertor, um sofá sob agasalhos com filme rolando, um vinho, uma pizza delivery, um chocolate quente, uma sopa, pés entrançados, calores compartilhados. Diminuem os adeptos do amor breve, pois dá trabalho criar a intimidade que favorece levar uma pessoa para dentro de casa.
Alguns ficarão. Outros, quando o verão chegar, hão de preferir o vôo das andorinhas.

Ivan Angelo

domingo, 6 de julho de 2008

...

Porque eu sou feita pro amor, da cabeça aos pés, e não faço outra coisa do que me doar.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Pré-CONCEITOS

Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória contra pessoas, lugares ou tradições diferentes daqueles que consideramos nossos. Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém ao que lhe é diferente. As formas mais comuns de preconceito são: social, racial e sexual.
Os
antropólogos nos ensinam que, ao avaliarmos os costumes de outros povos temos têndencia de partir de nossos valores culturais, o que representa uma atitude etnocêntrica. Quando isso acontece, corremos o risco de procurar neles "o que lhes falta" e esquecemos de ver com clareza o que eles são de fato.
O preconceito leva à discriminação quando pessoas são classificadas pela sociedade " diferentes" (tais como
pobres, negros, homossexuais, mulheres, idosos e doentes mentais) são considerados inferiores e excluídos dos privilégios desfrutados por aqueles que se consideram "melhores".[1]
As atitudes preconceituosas podem ter inúmeras causas, desde a maneira como aprendemos a lidar com certas pessoas até problemas interpessoais exteriorizados naqueles que desprezamos; e consequencias infelizes, principalmente quando pessoas realmente capazes são excluidas por terem algo que as diferencia das demais.


ME DEIXE VIVER!

terça-feira, 1 de julho de 2008

Lugares Proibidos

Depois de escutar milhares de vezes a mesma música durante o dia todo, até o chefe(pai) sabe cantar, e você, entendeu?

Eu gosto do claro quando é claro que você me ama
Eu gosto do escuro no escuro com você na cama
Eu gosto do não se você diz não viver sem mim
Eu gosto de tudo, tudo que traz você aqui
Eu gosto do nada, nada que te leve para longe
Eu amo a demora sempre que o nosso beijo é longo
Adoro a pressa quando sinto sua pressa em vir me amar
Venero a saudade quando ela está pra terminar
Baby, com você já, já
Mande um buquê de rosas, rosa ou salmão
Versos e beijos e o seu nome no cartão
Me leve café na cama amanhã
Eu finjo que não esperava
Gosto de fazer amor fora de hora
Lugares proibidos com você na estrada
Adoro surpresas sem data
Chega mais cedo amor
Eu finjo que não esperava
Eu gosto da falta quando falta mais juízo em nós
E de telefone, se do outro lado é a sua voz
Adoro a pressa quando sinto sua pressa em vir me amar
Venero a saudade quando ela está pra terminar
Baby com você chegando já.

Helena Elis