sexta-feira, 27 de março de 2009

Viagens diárias me levam a pensar demais. Não, eu não quero pensar. É inevitável. Qualquer situação, qualquer leitura, qualquer música, qualquer coisa, ou qualquer nada me faz lembrar o que realmente não merecia ser lembrado. Mas lembro. É tanto lembro dentro de uma mesma frase que isso acaba sendo repetitivo pra cacete. Minha vida esta cansada. Cansada de mim. Meu espírito está doente. Só meu cérebro que não descansa e também não me deixa descansar. Predisposição para a preguiça que era meu forte. Ai saudade. Saudade de estar. Saudades de ser. Ser um ser não pensante. A única coisa forte que agora possuo é a não dominação sobre minhas vontades. Sim, estou imune. Imune de mim. Só não estou de meus pensamentos. Malditos, eu diria.