terça-feira, 30 de junho de 2009

Gosto da raiva de gostar dele

E te falei que tu me inspiravas. E você só disse um oi? Um, ah, fico feliz por isso. Não sei, mas quase certeza que odiaria ler os textos que escrevo na qual menciono que você me inspira. Felicidade literalmente nunca me inspirou, deduzimos então, que você não me deixa nadinha feliz. Sim, nadinha. E prometi a mim mesma que ao acordar iria escrever um texto sobre você, sobre o poder ordinário que tu tens sobre mim, de deixar-me dominada por aproximadamente uns 20 minutos me enrolando porque quero as músicas tão cafonas que você escuta só pra gente ter algo em comum. Ter algo parecido e quem sabe assim você se interessar por mim. Por garantia sabe, pra ter algum assunto que não seja os meus, que acho interessantíssimos. E iria escrever que fiquei um final de semana inteiro me produzindo e que demorei anos-luz para escolher uma roupa que você só veria do pescoço pra cima quando nos encontramos por querer na porta da balada que você trocou-me por ela, enquanto eu diria fumando um cigarro com as unhas pintas de vermelho sangue só para te impressionar. Escreveria também, claro, como era absurda a forma de combinarmos uma noite de sexo, noite essa que nunca aconteceu por motivos óbvios que não eram os meus. Mas não vou, prometo acordar amanhã e nem se lembrar de escrever sobre você. Não darei importância a esses detalhes que de tão pequenos eu acabo esquecendo. Não darei importância de quando pensar, vir na minha cabeça milhões de coisas na qual eu deveria escrever sim. Mas não vou. Não mesmo, você não merece saber que penso em ti todo esse tempo, que perderia meu tempo escrevendo sobre isso, e que escuto ao mesmo tempo em que penso em ti essas músicas tão mais cafonas do que o texto que escreveria a ti. Mas como dizia, não vou. Você não me inspira mais.

domingo, 28 de junho de 2009

Um e-mail e tanto.

E de repente, todo o interesse que tu sente pelo moreno de olhos claros se evapora, some, se perde entre os prédios da cidade cinzenta de Santos num domingo a tarde. Você não acorda simplesmente toda as manhãs as 5 para usar a nova linha completa do Renew, nem usar creme da Victoria Secret's e tão pouco lê milhões de livros para não ser interessante a ele. Pega metrô, sobe e desce a serra todos os dias por achar divertido o passeio. Primeiro, ele te acha uma garota sem sal e açucar, e além do mais, diz que, as vezes você é criança. Se acha o homem experiente por achar que miseravéis 4 anos fazem a grande diferença. Mesmo falando "de" domingo, coisa que literalmente me engasga. Ele mora longe, e por morar sozinho se acha capaz o suficiente para dar lição de moral a alguém que com certeza tem muito mais a dizer da vida do que ele próprio. E depois de todo essa admiração que tu sente por ele, ele passa a ser mais um, só pelo simples fato de não se tão adulto como deveria ser quando encontra, ou esbarra com alguém desprentesiosamente pela rua, ou um bar a noite. Sabia, tinha quase certeza, que essa coisa de idade realmente não quer dizer nada. Sim, tenho 22 anos e tão mais adulta do que um par de olhos claros e uma barbichinha bem da mal feita. Sim, é a revolta em pessoa sobre os homens que se acham tão mais inteligentes e experientes que mulheres que são 'GRAÇAS A DEUS' bem resolvidas. Quando isso acontece, no final, me pergunto: Como pude...

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Ogum

Eu sou descendente de ogum
Sou um soldado de ogum
devoto dessa imensa legião de Jorge
Eu sincretizado na fé
Sou carregado de axé
E protegido por um cavaleiro nobre
Sim vou nà igreja festejar meu protetor
E agradecer por eu ser mais um vencedor
Nas lutas nas batalhas

Sim vou ao terreiro pra bater o meu tambor
Bato cabeça firmo ponto sim senhor
Eu canto pra ogum

Ogum
Um guerreiro valente que cuida da gente que sofre demais
Ogum
Ele vem de Aruanda ele vence demanda de gente que faz
Ogum
Cavaleiro do céu escudeiro fiel mensageiro da paz
Ogum
Ele nunca balança ele pega na lança ele mata o dragão
Ogum
É quem da confiança pra uma criança virar um leão
Ogum
É um mar de esperança que traz abonança pro meu coração


Deus adiante paz e guia
Encomendo-me a Deus e a virgem Maria minha mãe ..
Os doze apóstolos meus irmãos
Andarei nesse dia nessa noite
Com meu corpo cercado vigiado e protegido
Pelas as armas de são Jorge
São Jorge sentou praça na cavalaria
Eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
"Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem
Tenham mãos e não me peguem e não me toquem
Tenham olhos e não me enxerguem
E nem em pensamento eles possam ter para me fazerem mal
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão
Facas e lanças se quebrem se o meu corpo tocar
Cordas e correntes se arrebentem se ao meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge Jorge é da Capadócia"


Salve Jorge!