domingo, 28 de junho de 2009

Um e-mail e tanto.

E de repente, todo o interesse que tu sente pelo moreno de olhos claros se evapora, some, se perde entre os prédios da cidade cinzenta de Santos num domingo a tarde. Você não acorda simplesmente toda as manhãs as 5 para usar a nova linha completa do Renew, nem usar creme da Victoria Secret's e tão pouco lê milhões de livros para não ser interessante a ele. Pega metrô, sobe e desce a serra todos os dias por achar divertido o passeio. Primeiro, ele te acha uma garota sem sal e açucar, e além do mais, diz que, as vezes você é criança. Se acha o homem experiente por achar que miseravéis 4 anos fazem a grande diferença. Mesmo falando "de" domingo, coisa que literalmente me engasga. Ele mora longe, e por morar sozinho se acha capaz o suficiente para dar lição de moral a alguém que com certeza tem muito mais a dizer da vida do que ele próprio. E depois de todo essa admiração que tu sente por ele, ele passa a ser mais um, só pelo simples fato de não se tão adulto como deveria ser quando encontra, ou esbarra com alguém desprentesiosamente pela rua, ou um bar a noite. Sabia, tinha quase certeza, que essa coisa de idade realmente não quer dizer nada. Sim, tenho 22 anos e tão mais adulta do que um par de olhos claros e uma barbichinha bem da mal feita. Sim, é a revolta em pessoa sobre os homens que se acham tão mais inteligentes e experientes que mulheres que são 'GRAÇAS A DEUS' bem resolvidas. Quando isso acontece, no final, me pergunto: Como pude...