domingo, 31 de janeiro de 2010

Nossa Senhora dos Prazeres - Jaboatão dos Guararapes - PE

A Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes foi construída nas primeiras décadas do século XVII, nas terras doadas pelo capitão Alexandre Moura, o proprietário do Engenho Guararapes, no atual município de Jaboatão dos Guararapes.No topo daquelas terras, nos anos de 1648 e 1649, os luso-brasileiros comandados por João Fernandes Vieira, André Vidal de Negreiros, Filipe Camarão e Antônio da Silva travaram as batalhas decisivas contra os holandeses. Na primeira, os últimos tiveram um saldo de 523 feridos, além de 515 pessoas mortas ou prisioneiras (das quais, 46 oficiais do exército); e os luso-brasileiros perderam 84 homens e ficaram com mais de 400 feridos.Na segunda batalha, 3.510 flamengos, comandados pelo tenente-general Johan van den Brincken, foram derrotados por 2.600 homens luso-brasileiros, comandados pelo general Francisco Barreto de Menezes. Desta feita, os luso-brasileiros tiveram 47 mortos e 200 feridos e, os holandeses, perderam 1.044 vidas e ficaram com 500 feridos. Cinco anos depois disso, em 1654, os batavos abandonariam para sempre o Nordeste do Brasil.Agradecendo à vitória conseguida, o general Francisco Barreto de Menezes solicitou a construção de uma pequena capela, dentro da própria Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes, em louvor a Nossa Senhora dos Prazeres.Entre os anos de 1676 e 1680, seguindo um projeto de frei Macário de São João, um religioso pertencente ao Mosteiro Beneditino da Bahia, o prédio da igreja se tornava bem maior, com a edificação de uma nave mais larga e de uma sacristia.As obras referentes à capela-mor, aos altares laterais e ao arco-cruzeiro, foram concluídas em 1720. Os pesquisadores consideram o frontispício como um trabalho do arquiteto Francisco Nunes Soares, no ano de 1795. Esse detalhe arquitetônico encontra-se emoldurado por dois campanários, sobre um pórtico de três arcadas.Em 1965, depois que o Estado pagou uma indenização aos monges beneditinos de Olinda, deu-se início a um processo de desapropriação dos Montes Guararapes - e, portanto, da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes. Em 19 de abril de 1971, por sua vez, mediante o Decreto Federal nº 68.527, todo esse valioso patrimônio cultural se tornava um Monumento Nacional, passando a se chamar, então, de Parque Histórico Nacional dos Montes Guararapes.