quinta-feira, 6 de maio de 2010

Interstícios

Engraçado é que se eu realmente lesse tudo o que eu escrevo minha vida seria mais leve, feliz. Se eu seguisse meus conselhos... ah, se eu seguisse os meus conselhos, não trocaria tanto os pés pelas mãos, não me envolveria em situações que não são aquelas que quero pra mim.

Teoricamente a gente sabe de tanta coisa né... Tudo faz sentido do ponto de vista racional, mas é que... na vida a gente sente as coisas diferente mesmo. Tenta racionalizar e não consegue. Tenta objetivar (ou objetificar), mas se sente apenas vazia.

Tenho que assumir sou viciada em seriados. Assisti ontem o episódio da semana de Gossip Girl, aquela mesma série sobre a qual postei aqui outro dia. Lá pelas tantas a Blair, em diálogo com o Chuck, diz a ele

Acabei de perceber que superar você não é ficar com qualquer um ou fingir que não aconteceu. Nós nos amamos. E você partiu meu coração... (...) Eu vou beijar alguém algum dia e, quando eu fizer, será por mim.


Que quando eu fizer, seja por mim.

*

Acho que o universo seria muito mais interessante se a gente fantasiasse menos e vivesse mais as histórias possíveis que as da fantasia da gente. Mas eu sempre quis o extraordinário... e, sim, eu não consigo pensar que ele nasce da pressa e da exasperação de quem quer viver tudo acelerado e agora. Coisa de velha... some of it's trancedental, some of it's just really dumb. But i love when you read to me, and you can read me anything...

Elenita Rodrigues!
http://acasosafortunados.blogspot.com/